Rua Martin Afonso, 558 - Curitiba - Pr
(41) 3225-5050

Densitometria Óssea

SAIBA MAIS

A Densitometria Óssea estabeleceu-se como o método mais moderno, aprimorado e inofensivo para se medir a densidade mineral óssea e comparado com padrões para idade e sexo.

Essa é condição indispensável para o diagnóstico e tratamento da osteoporose e de outras possíveis doenças que possam atingir os ossos.

É possível analisar também a Composição Corporal através da Densitometria Óssea de Corpo Total que permite analisar com precisão o percentual de massa de gordura e de massa magra (músculos, vísceras e água corporal) do organismo, além de obter a densidade mineral óssea total do esqueleto. A densidade mineral óssea total, avaliada nesse exame, não é usada para o diagnóstico de osteoporose por sua baixa sensibilidade.

A análise da composição corporal é útil na avaliação nutricional do indivíduo, na fase de crescimento e ganho de massa óssea, no rastreamento de deficiência estrogênica, em programas de condicionamento físico e na evolução e no tratamento da várias doenças que afetam a massa óssea.

Com vestimenta adequada (sem partes metálicas), o paciente é posicionado deitado na maca e o aparelho, Densitômetro, faz a leitura das partes de interesse na obtenção das imagens para diagnóstico, que são o fêmur e a coluna vertebral.

O paciente não necessita de preparo especial e nem de jejum. É solicitado apenas para os pacientes que fazem uso de suplementos para reposição de cálcio que suspendam o uso por 3 dias antes do exame.

Os aparelhos hoje utilizados conseguem aliar precisão e rapidez na execução dos exames, a exposição à radiação é baixa, tanto para o paciente como para o próprio técnico.

As partes mais afetadas na osteoporose são: o colo do fêmur, coluna, a bacia e o punho.

Sabe-se que hoje a densitometria óssea é o único método para um diagnóstico seguro da avaliação da massa óssea e consequente predição do índice de fratura óssea. Segundo a Organização Mundial de Saúde, OMS, a osteoporose é definida como doença caracterizada por baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo. É recomendado que se repita anualmente a densitometria óssea para que o médico controle o acompanhamento evolutivo da osteoporose. O objetivo de se fazer uma densitometria óssea é avaliar o grau da osteoporose, indicar a probabilidade de fraturas e auxiliar no tratamento médico.

  • Densitometria de Corpo Inteiro (para avaliação de composição corporal)
  • Densitometria óssea (um segmento) (para avaliação de osteoporose)
  • Densitometria óssea (coluna + fêmur) (para avaliação de osteoporose)
  • Esqueleto (incidências básicas) crânio, coluna, bacia e membros